segunda-feira, 12 de abril de 2010

INEXPRESSIVIDADE

Tudo é luz diante do papel
Transbordo meus suores,teus olhares
Entre finas tristes letras escolhidas
Tudo é luz diante deste instante
Brilha pupila lúcida olhos embriagados
Lembro teu rastro fugaz unhas vorazes
Aquelas palavras em linhas limitantes
Para a expressar a poesia de fato
Não terei a palavra certa
Das linhas tortas delineando o teu rosto
Restam a verve da carne a arte do gozo
A incendiarem meu papel rasurado
Enfim, da luz e do gosto
Do estranho invadir do meu espaço
Da luta dos dedos trêmulos ansiosos
Tudo é luz diante do papel!

6 comentários:

  1. Não me recordo de ter lido algo tão belo e intenso nesses últimos tempos,minha doce!

    ResponderExcluir
  2. Esse ambiente vai ter a honra de receber pensamentos e emoções pra levar por toda a vida,
    todo mundo merece..! Parabéns meu bem e sucesso!
    :-xxx

    ResponderExcluir
  3. Minha irmã! hehehe
    Serei sempre uma seguidora dos seus ensinamentos.
    Sucesso sempre.(sei que você vai querer desistir disso...mas tente pensar quando lhe vier à cabeça..rsrsrs)
    Decidida e inconstante!

    ResponderExcluir